Desafio Teatral

Destrave seu processo criativo e comece sua cena !

04 a 08 de Julho às 18:00h no Youtube

AO VIVO | GRATUITO | SEM REPRISE

Cadastre-se abaixo e entre no grupo para receber o link das aulas e materiais complementares

  •  

*Eu autorizo a coleta e uso dos meus dados para o envio de material, inclusive publicidade, sobre os produtos e serviços do Território da Arte

Sobre o desafio:

O desafio…. é a primeiro passo da nossa Oficina Artística: Monólogos Teatrais, um módulo inicial para quem quer começar a produzir uma cena solo para uma prova de vestibular ou teste de elenco.

E este início será aberto e 100 % gratuito.

Assim você pode conhecer de perto nossa metodologia e dar o impulso necessário para destravar seu processo de criação teatral.

Durante 5 dias você viverá a experiência de ser alunx do Território da Arte com aulas e sessões de tira-dúvidas para você aproveitar bastante.

Você irá aprender a escolher o melhor texto, personagem e linguagem para destacar o que você tem de melhor como intérprete.

Pra quem é o desafio:

-Para quem não aguenta mais procrastinar e precisa começar a fazer teatro.

-Para quem tem dúvidas sobre qual a melhor cena escolher para uma seleção.

-Para quem se sente perdido por não saber como começar .

-Para quem ainda não começou a estudar para o Vestibular de Artes Cênicas e precisa correr contra o tempo.

O TIME:

Amanda Martini e Nathália Góes e Silva são professoras de teatro, atrizes e já exerceram a famigerada função de “faz tudo” de nesta profissão louca e amada que é ser artista.


Ambas formadas em Artes Cênicas pela UNICAMP e com experiência em teatro.

Fundadoras do Território da Arte, onde ensinam e incentivam os artistas das próximas gerações.

Seguem com o projeto de espalhar Artes Cênicas pelas redes para tornar possível a formação de artistas engajados, ativos e inovadores independente de sua localização geográfica.


Mandi e Nath acreditam que a arte tem que ser espalhada, semeada e cultivada

porque a arte transforma vidas, bairros cidades e quiçá esse mundo doido que

vivemos.